Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando Agora
Músicas recentes: Veja as músicas que já tocaram por aqui.

Divine Death - Necropsya Metal Rádio

Fale conosco via Whatsapp: +55 31 998426908

No comando: Programa Madrugada dos Clássicos

Das 01:00 às 06:00

No comando: Programa Anarco Punk

Das 06:00 às 07:00

No comando: Programa Industrial Machine

Das 07:00 às 08:00

No comando: Programa Nu Metal Generation

Das 08:00 às 09:00

No comando: Programa Brazilian Metal Bands

Das 09:00 às 11:00

No comando: Programa Metal In Your Head Automático

Das 11:00 às 12:00

No comando: Programa Metal Woman

Das 12:00 às 13:00

No comando: Programa Bestial Death

Das 13:00 às 14:00

No comando: Programa Necronation Automático

Das 14:00 às 16:00

No comando: Programa Devastation Thrash

Das 16:00 às 18:00

No comando: Programa Metal Heart “Love Metal”

Das 18:00 às 20:00

No comando: Programa Necronation

Das 18:00 às 21:00

No comando: Programa Metal In Your Head Ao Vivo

Das 18:00 às 21:00

No comando: Programa Angels Cry

Das 20:00 às 21:00

No comando: Programa Folklóryka

Das 21:00 às 22:00

No comando: Programa Symphonyka

Das 22:00 às 23:00

No comando: Programa The Black Art

Das 23:00 às 01:00

Divine Death

Que se tornaria uma das mais conhecidas dentro do Death Metal Mineiro, nome este escolhido em homenagem à banda Napalm Death, apreciada pelos componentes do Divine, principalmente, pela música que os ingleses praticavam, tornando-a assim influência para vários outros conjuntos musicais planeta afora. A formação original do Divine Death apresentava Pank na bateria, Incubinho no contrabaixo, Walner na guitarra e posteriormente Henrique Zanadreis também na guitarra e Marcos Machado nos vocais. Esta formação gravaria o clássico álbum “Human Incarnation Sclerosis” (1994) pela Miragem Records,em 1995 Tom Leandro(Sarcasmo)assume as guitarras (1995/1996).Em 1996 a banda entra novamente em estúdio, dessa vez para registrar a demo tape “Divine Death”, contando com o novo baixista Andrews Cross, a banda estava no caminho certo para se tornar uma das mais importantes do cenário mineiro e brasileiro. Ocorreram alguns shows pelo Brasil, mas, infelizmente, por algumas divergências e saída de vários de seus integrantes ficando apenas Markin e Pank que posteriormente também sairia . A banda teve que dar um tempo e não decolou como se esperava.No final do ano de 1997, por intermédio do vocalista Marcos Machado (Markin), o Divine Death ressurge, contando com músicos que tinham experiência na cena Death Metal mineira: Renato Audrey (1998-1999 ex:As Prophecies, Spittle, Impurity, Paradise in Flames e Insaned) Vitor (1998-1999) e Marlon (1999-2000) nas guitarras, Sidney na bateria (1998-2000 ex: Spittle e Torment), Thiago (1998), Schumacher (1999-2000) e Warley (1998) no contrabaixo. Juntos, estes músicos dariam sequencia ao trabalho que gerou, em 2001, o mcd-demo intitulado “Infected By The Church”, nesse período a banda contava com a nova formação, esta responsável pelo registro e composição de parte desse novo artefato: Markin nos Vocais, Alex Albernaz na guitarra, Andreas M. Pereira no contrabaixo, André Ferreira na bateria, e André Ricardo na guitarra sendo o ultimo show em 2006 na cidade de Caratinga MG. Em 2009 o Divine Death ressurge reformulado e mais coeso, mantendo seu tradicional vocalista Markin que, juntamente com seus novos comparsas – Mallu Henndrys no contrabaixo (ex:Insurrection, Vector Underfate), Bruno Camargo na guitarra (ex:Vector Underfate),Renato Audrey na outra guitarra, Evandro na bateria (ex:As Prophecies e Arkebeltz). Em meados de 2010 Renato sai da banda pra prosseguir com outros projetos musicais, Markin então convida Arnaldo Andrade( Sex Trash, witchhammer e Sarcófago)para assumir o lugar de Renato, o Divine Death se estabiliza com: Andre Pignolatti: Drums Arnaldo Junior: Guitar Mallu Andrade: Bass Markin Divibe: vocals and Screams A banda agora se prepara para entrar em estúdio para trabalhar em seu novo álbum e permanecer como sempre atormentando as almas com seu Death Metal visceral e fiel ao mais tradicional estilo extremo do metal.

 

Deixe seu comentário:

Equipe